Medos

Aquele monte.

que nos protege do vento e nos faz sombra ao entardecer, 

Aquele monte 

que rasga o céu e impede o mar de devorar a terra.

Aquele que guarda os medos e os sonhos dos mininus de Salamansa.

O medo por aqui, não tem candeias nem faz sombra, 

Não se revela à noite

Nem se ouve com o vento.

O medo não tem sombra,

E vive debaixo do pés.

Espera, foge, sonha…chegou a hora de minguarda.

Sabe bem partilhar com os outros...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *